www.irineupedrotti.com.br Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense ACÓRDÃOS   Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense TERMO DE USO    Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense DEDICATÓRIA   Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense CARREIRA    
Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseINÍCIO Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseCADASTRO Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseMENSAGENS    Registre-se    Login  
Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense
Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Menu principal

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Contato

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Galeria
MMDC_11.jpg

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Acesso

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Usuários online
10 visitantes online (10 na seção: Novidades)

Usuários: 0
Visitantes: 10

mais...

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Busca
Custom Search
Notícias : Menos cargos comissionados
em 9/11/2016 12:03:23 (339 leituras)

Em junho passado, como parte do esforço para diminuir o desequilíbrio fiscal e aumentar a eficiência da administração pública, o governo federal assumiu o compromisso, por meio do Decreto 8.785/2016, de extinguir 4.301 cargos em comissão e funções de confiança até o final do ano. Agora, quatro meses depois, o Ministério do Planejamento e Gestão anunciou que 3.290 desses cargos já foram desocupados, o que representa 76% da meta proposta.


Menos cargos comissionados

Em junho passado, como parte do esforço para diminuir o desequilíbrio fiscal e aumentar a eficiência da administração pública, o governo federal assumiu o compromisso, por meio do Decreto 8.785/2016, de extinguir 4.301 cargos em comissão e funções de confiança até o final do ano. Agora, quatro meses depois, o Ministério do Planejamento e Gestão anunciou que 3.290 desses cargos já foram desocupados, o que representa 76% da meta proposta.

ESTADÃO

09 Novembro 2016 | 05h09

É certamente uma excelente notícia, tanto pelo empenho do atual governo em reduzir o número desses cargos – é bem conhecido o alto custo político desse tipo de medida – como pela comprovação empírica da possibilidade de reduzir esses cargos. Não raras vezes, pessoas e grupos interessados na manutenção desses postos tentam difundir a ideia de que qualquer redução seria impossível, em clara tentativa de lançar uma cortina de fumaça sobre o assunto. Os números do Ministério do Planejamento mostram outra realidade, bem mais esperançosa – ainda que custoso, é possível diminuir os cargos em comissão.

A redução promovida pelo governo de Michel Temer ocorreu principalmente nos cargos de “Direção e Assessoramento Superiores” (DAS). Foram extintas 2.630 posições nessa categoria. O restante refere-se a 660 funções gratificadas. Segundo a estimativa oficial, o corte gerará uma economia anual de R$ 176,2 milhões.

Com a redução realizada, o número atual de cargos comissionados ocupados é o menor da administração pública federal desde 2005. No momento, existem 19.363 cargos DAS no Poder Executivo federal. Em 2014, ano em que se atingiu o número recorde, eram 22.926 cargos DAS.

Atualmente, 14.726 cargos DAS são ocupados por pessoas concursadas e 4.637 por quem não tem qualquer vínculo com o governo. Este último dado tem grande relevância, pois são cargos de livre nomeação e, portanto, com maior possibilidade de aparelhamento ideológico. Recentemente sancionada, a Lei 13.346/2016 também colabora nesse empenho ao limitar a ocupação de cargos no governo por pessoas que não fizeram concurso público. Entre outras disposições, a nova lei converteu 10.462 vagas de DAS em cargos exclusivos de servidores concursados.

Tanto pela economia gerada como pelo simbolismo que comporta, é de grande relevância para o País a diminuição de cargos comissionados. Nos anos em que o PT esteve no governo federal, houve um irresponsável aumento desses cargos. Além dos conhecidos efeitos para as finanças públicas, o aumento de quase 25% do número dos cargos DAS entre 2002 e 2014 foi ocasião para a implementação de um sistemático aparelhamento estatal, no qual o poder público parecia assumir a estranha função de servir a um partido.

O número de cargos comissionados no País – por exemplo, os quase 20 mil cargos DAS – contrasta com a realidade de países desenvolvidos. Estima-se que nos Estados Unidos existam 4 mil cargos similares aos cargos de confiança e comissionados brasileiros. Na Alemanha, seriam 600.

Com imenso atraso, o Brasil começa agora a seguir os mesmos passos adotados por outros países após a crise econômica de 2008. De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), todos os países da União Europeia, com exceção da Suécia, reduziram o tamanho do funcionalismo público entre 2008 e 2013. Outro estudo, da entidade Initiative for Policy Dialogue, com sede na Universidade Columbia (EUA), revelou que, desde 2010, quase 100 governos reduziram o valor gasto com o funcionalismo. Aqui, o gasto com o funcionalismo em 2015 representou 5,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi o pior resultado desde 1995.

A recente redução de cargos comissionados deve ser estímulo para o governo atingir a meta de corte de 2016, sabendo se tratar apenas de um primeiro passo. Há ainda um longo e necessário caminho de reformas para que o funcionalismo esteja de fato a serviço do País – e não o inverso.

Avaliação: 0.00 (0 votos) - Avalie esta notícia -


Outros artigos
14/3/2017 8:50:23 - Temer sanciona sem vetos lei que regulamenta cobrança de gorjetas
18/11/2016 9:06:02 - O PT e seu faz de conta
18/11/2016 9:04:41 - O intocável
10/11/2016 9:53:18 - O voto facultativo
9/11/2016 12:03:23 - Menos cargos comissionados
9/11/2016 12:02:16 - Carros e Brasil, o encalhe geralCarros e Brasil, o encalhe geral
8/11/2016 8:28:43 - Como os brasileiros veem a Justiça
8/11/2016 8:27:36 - Não perpetuar privilégios
31/10/2016 8:59:13 - A Justiça em números
11/10/2016 8:50:24 - A novela dos depósitos judiciais

Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense