www.irineupedrotti.com.br Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense ACÓRDÃOS   Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense TERMO DE USO    Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense DEDICATÓRIA   Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense CARREIRA    
Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseINÍCIO Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseCADASTRO Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forenseMENSAGENS    Registre-se    Login  
Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense
Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Menu principal

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Contato

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Galeria
MMDC_11.jpg

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Acesso

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Usuários online
3 visitantes online (3 na seção: Novidades)

Usuários: 0
Visitantes: 3

mais...

Irineu Pedrotti acórdãos modelos de petições acidentes trabalho  direito justiça  modelos  petição contrato aluguel tribunal alçada notícias despejo acórdão ementa sorteio código condomínio incorporações previdência aposentadoria invalidez carreira indicadores econômicos IGPM poupança INPC Selic TR Ufesp Ufir leis legislação constituição São Paulo Busca
Custom Search
Notícias : Carros e Brasil, o encalhe geralCarros e Brasil, o encalhe geral
em 9/11/2016 12:02:16 (314 leituras)

O governo tem apostado na recuperação da economia a partir deste fim de ano, mas o último trimestre começou em marcha lenta num dos segmentos industriais mais importantes, o automobilístico

Carros e Brasil, o encalhe geral

O governo tem apostado na recuperação da economia a partir deste fim de ano, mas o último trimestre começou em marcha lenta num dos segmentos industriais mais importantes, o automobilístico

ESTADÃO

09 Novembro 2016 | 05h00

O governo tem apostado na recuperação da economia a partir deste fim de ano, mas o último trimestre começou em marcha lenta num dos segmentos industriais mais importantes, o automobilístico. É cedo, no entanto, para jogar a toalha. A reação é certa em novembro e dezembro, garantiu o executivo Antonio Megale, presidente da associação nacional das montadoras, a Anfavea. Este mês, anunciou, será melhor que qualquer dos anteriores desde janeiro. O acerto da previsão dependerá, é claro, da disposição dos consumidores, e quanto a isso ele se mostra confiante. Quando se olha para trás, o cenário é muito menos entusiasmante. A produção de veículos em outubro foi 2,3% maior que em setembro, segundo informou a entidade. É um resultado animador, à primeira vista, especialmente depois das quedas mensais de 6,4% em agosto e de 3,9% em setembro.

Mas o desempenho geral em setembro foi afetado pelos dias de paralisação na Volkswagen. Isso explica, em parte, o aumento registrado em outubro. Além disso, a produção no mês passado, de 174,2 mil veículos, foi 15,1% menor que a de um ano antes. A de janeiro a outubro, de 1,74 milhão, ficou 17,7% abaixo da contabilizada em 2015 nos 10 meses correspondentes. Na melhor hipótese, haverá um longo percurso até se alcançar novamente o volume produzido no ano passado. Mas a recuperação ainda será incompleta. Em 2015, o setor fabricou 22,8% menos que no ano anterior. Em 2014, o total foi 15,3% menor que o de 2013. Para simplificar: o número acumulado em 2016, até outubro, foi o menor em 13 anos. Também isso é parte da herança deixada pelo governo da presidente Dilma Rousseff.

O setor automobilístico já estava muito mal, portanto, quando a economia ainda rumava para a recessão. Em 2014, o Produto Interno Bruto (PIB) ainda cresceu 0,1%, de acordo com os dados oficiais. Mas o Brasil já estava de fato afundando. O movimento para baixo resultava principalmente do péssimo desempenho de alguns dos segmentos mais importantes da indústria de transformação.

Também isso comprova – como percebiam na época as pessoas medianamente informadas – o fiasco da política econômica do governo federal. Essa política foi baseada principalmente no protecionismo, no pacto de mediocridade com a Argentina e nos estímulos fiscais e financeiros ao consumo. Bons acordos comerciais e estímulos efetivos aos ganhos de eficiência e de competitividade foram desprezados.

O terceiro-mundismo da diplomacia comercial, as concepções anacrônicas da política de desenvolvimento e a distribuição de favores a setores e grupos eleitos como favoritos da corte resultaram em crise fiscal, inflação elevada, recessão, desemprego e enfraquecimento da indústria.

A crise da indústria automobilística sintetiza essa coleção de erros e desmandos. Nem o aumento das vendas externas em 2016 desmente essa afirmação. De janeiro a outubro as montadoras exportaram 400,6 mil veículos, 19,7% mais que um ano antes – uma reação significativa, depois de um grande recuo. Mas os produtos foram embarcados principalmente para a Argentina e para outros mercados latino-americanos. O esforço de diversificação – mais complicado, porque envolve condições mais difíceis de concorrência – apenas começa. De toda forma, a inclusão desse objetivo na agenda setorial é uma novidade muito promissora. Para alcançá-lo será preciso cuidar mais da eficiência e da competitividade e depender menos da proteção.

O retorno ao crescimento só será sustentável, nos próximos anos, se a política econômica for voltada para a obtenção de bons padrões internacionais de produtividade. Também será importante cuidar mais seriamente da pesquisa e da inovação, objetivos até agora valorizados mais na retórica do que na prática. Maior abertura e diplomacia comercial mais pragmática e ambiciosa serão componentes essenciais de qualquer política realista. Essa política envolverá necessariamente uma reavaliação do Mercosul como instrumento de dinamização regional e de integração nos mercados globais.

Avaliação: 0.00 (0 votos) - Avalie esta notícia -


Outros artigos
14/3/2017 8:50:23 - Temer sanciona sem vetos lei que regulamenta cobrança de gorjetas
18/11/2016 9:06:02 - O PT e seu faz de conta
18/11/2016 9:04:41 - O intocável
10/11/2016 9:53:18 - O voto facultativo
9/11/2016 12:03:23 - Menos cargos comissionados
9/11/2016 12:02:16 - Carros e Brasil, o encalhe geralCarros e Brasil, o encalhe geral
8/11/2016 8:28:43 - Como os brasileiros veem a Justiça
8/11/2016 8:27:36 - Não perpetuar privilégios
31/10/2016 8:59:13 - A Justiça em números
11/10/2016 8:50:24 - A novela dos depósitos judiciais

Irineu Pedrotti é Desembargador do TJSP e publica acórdão modelo petição rural cível criminal vocabulário jurídico Condomínio Incorporações arrendamento mercantil leasing locação imobiliária doenças profissionais acidente trabalho infortunística concubinato latim forense